A Loja Maçônica Cavaleiros Templarios - LMCT.'., filiada a União Mineira de Lojas Maçônicas Independentes - UNILOJAS, vem se dedicando à formação de Aprendizes, orientando-os a buscarem o autoconhecimento e, em consequência, desenvolverem um projeto pessoal de autodesenvolvimento. A Ideia é habilitá-los ao uso das ferramentas que a maçonaria dispõe no sentido de construírem o seu Templo Interior, tornando-se por conseguinte pessoas cada vez melhores.
Desta forma apresentamos a seguir um trabalho do Aprendiz ANDRÉ HUMBERTO PEREIRA DE LIMA, onde ele apresenta a sua


VISÃO PESSOAL SOBRE A INICIAÇÃO MAÇÔNICA.


Tantas coisas passam pela cabeça de um iniciando no dia da iniciação maçônica e tantas mais são descobertas posteriormente, que é quase impossível sintetizar em breves palavras. São muito relevantes os estudos, as explanações dos agora Irmãos _ que com tanto desprendimento, compartilham seus conhecimentos, exemplos e sabedorias. A descoberta dos diversos sentidos dos vários símbolos maçônicos, cada um ensinando alguma coisa importante, colabora sobremaneira para o crescimento filosófico e espiritual de um Aprendiz Franco-maçon.
No dia da iniciação _ com os olhos vendados desde o início, com um pé sobre uma sandália e uma manga da calça e outra da camisa arregaçadas, isolado por um tempo na sala de preparação para a grande cerimônia de iniciação _ é um ótimo momento para um iniciando fazer uma boa reflexão sobre os objetivos de se tornar um maçon. Com uma visão ainda muito rudimentar da Maçonaria _ mas com boas informações obtidas através das Sindicâncias conduzidas pelos futuros Irmãos, e do Padrinho, os quais possuem larga experiência maçônica e também por meio de alguma leitura introdutória _ a conclusão inicial, com certeza, é de que a Maçonaria nos ajudará a ser mais caprichosos no papel que temos de exercer na sociedade, na nossa família de sangue, na qualidade de pais, de chefes, de líderes, de liderados, de coadjuvantes, ou seja, não importa o papel momentâneo (pois tudo na vida é mesmo passageiro), mas importa sim a qualidade com a qual nos comprometemos a desempenhá-lo.
Já dentro dentro da Loja, ainda com a venda nos olhos _ conduzido pelo Diácono, com tantos ensinamentos sendo proferidos pelo Venerável Mestre e pelos principais oficiais, numa cerimônia cuidadosamente preparada _ é que se começa a compreender realmente a grandeza dos objetivos da Maçonaria, dentre eles: buscar a evolução de si mesmo para contribuir mais efetivamente com a melhora do mundo ao seu redor; trabalhar para a evolução do espírito, colocando-o à frente da matéria, de forma a tomar decisões mais sábias e necessariamente as mais honradas possíveis.
Retirada a venda dos olhos, após os diversos ensinamentos do V.M. e após o importante juramento diante do Livro da Lei, o qual é um compromisso da consciência e do espírito, inicia-se praticamente um novo mundo à frente do agora Neófito. Após alguns importantes ensinamentos pelo V.M. de sinais, toques e palavras da Maçonaria, os neófitos recompõem seus trajes normais e agora a reunião se desenvolve como de costume, ritualisticamente, com o(s) levantamento(s), e assim, se começa a aprender um pouquinho do que é auspicioso falar, como deve ser falado, de que forma e em que momento pedir a palavra. E uma das grandes virtudes da Maçonaria é que quando alguém ritualisticamente pede a palavra ao V.M., os demais Irmãos o ouvem atentamente, ou seja, há um enorme respeito a quem está com a palavra.
Nas reuniões seguintes, percebe-se o nível de comprometimento dos agora Irmãos diante dos Aprendizes, pois há uma verdadeira acolhida, em que os conhecimentos maçônicos são compartilhados através de trabalhos de enorme valor que são apresentados pelos Irmãos, bem como as experiências pessoais e os exemplos de luta e superação pessoal, que acabam por nos tornar efetivamente Irmãos nessa grande caminhada. Não é se arriscar muito dizer que não há como não acontecer nesse processo uma evolução de nossas mentes num sentido positivo, de modo a melhor entender o mundo e nosso verdadeiro papel na sociedade.
Daí então, parte-se para a produção do Aprendiz, que agora é motivado por um experiente mestre orientador a pesquisar, a buscar conhecimento e a explanar seus próprios trabalhos diante dos Irmãos, que com carinho e humildade, ouvem atentos e nos levantamentos são feitos comentários, de modo a contribuir com o crescimento constante do Aprendiz.
Nesse processo de aprendizado, uma importante parte são os símbolos. Pode-se dizer que os símbolos da Maçonaria são os ideais mais importantes que deveríamos perseguir vida afora: ter a conduta no Esquadro, com retidão e honra, se comportar nos limites do Compasso, de modo a evoluir sempre o espírito _ sabendo que nem sempre outras pessoas conseguem enxergar nossas atitudes, mas o olho de Deus tudo vê _ e ter o L. da L. para nos mostrar a vontade do G.A.D.U. e nos auxiliar no processo de crescimento e evolução.
Dentre os tantos símbolos da Tábua de Delinear do 1º Grau, alguns dos mais relevantes, abaixo, é claro das Três Grandes Luzes acima elencadas (o Esquadro, o Compasso e Livro da Lei), são a Escada de Jacob, apoiada sobre as Três Grandes Luzes da Maçonaria, que é o caminho que nós Maçons esperamos percorrer para chegar mais próximo ao G.A.D.U. E isso só é possível adquirindo as quatro virtudes cardeais representadas pelas quatro borlas (Temperança, Fortaleza, Prudência e Justiça) e as três virtudes teológicas, representadas pela cruz, a âncora e o cálice (Fé, Esperança e Amor ou Caridade). Isso simboliza que, adquirindo as virtudes cardeais e as teológicas, estaremos caminhando os degraus da Escada de Jacob para chegar mais próximo ao G.A.D.U., ou seja, cumprindo melhor nosso papel na sociedade e também evoluindo nosso espírito.
Ademais, um dos enormes valores e ensinamentos da Maçonaria é, sem dúvida a convivência com os Irmãos, seja em eventos, seja em Loja, seja na Ágape, seja num momento difícil do mundo profano, em que nós Irmãos devemos nos ajudar. É nos momentos mais descontraídos que nos comunicamos mais informalmente e os laços são fortalecidos entre os Irmãos e entre as Cunhadas. Quanto a este momento de convivência e interação, nossa Loja Maçônica Cavaleiros Templários, na pessoa de cada Irmão, tem uma preocupação muito grande, até mesmo no momento pré-iniciação, quando os candidatos conhecem seus futuros Irmãos, a convite de seu Padrinho, normalmente através de algum evento na casa de um dos Irmãos. Sem dúvida, isso é importante para o desenvolvimento da sintonia, tão necessária para o bom desenvolvimento do Aprendiz em Loja, posteriormente.
Portanto, a vida de um Aprendiz Franco-Maçon é impactada positivamente diante de tantos conhecimentos, bons valores, exemplos, convivência com os Irmãos e a expectativa é de que haja uma evolução constante, uma construção do aprendizado em cada Grau Maçônico. O grande ganho, é de fato levar todos os conhecimentos adquiridos através da Maçonaria para a vida prática. De forma sumária, na Maçonaria é firmado pelo Aprendiz o compromisso com a evolução de si mesmo, de forma a aprimorar seu espírito e melhor contribuir com a sociedade: é o que nós Maçons acreditamos que nos aproxima daquilo que o G.A.D.U. espera de nós. O aprendizado em Loja com os Irmãos é muito gratificante e nos ajuda a percorrer o caminho necessário a esse autodesenvolvimento. Também o aprendizado fora de Loja, com a convivência com os Irmãos, com as Cunhadas e com os Sobrinhos acrescenta muito, especialmente no caso de nossa LMCT, que se destaca pela receptividade e nos ensina muito a respeito do valor da união para que seja fortalecida nossa Loja e, consequentemente nossa Potência, a Unilojas. Temos nosso V.M., nossos mestres e demais Irmãos como grandes exemplos dentro e fora da Maçonaria.

Belo Horizonte, 21 de novembro de 2016.


FONTES BIBLIOGRÁFICAS:
As Três Grandes Luzes. Disponível em: < http://www.maconaria.net/…/ar…/54-as-tres-grandes-luzes.html>. Acesso em 20 de maio de 2016.
CORRÊA, Gustavo Rezende, et. al. O Esquadro e o Compasso. A TROLHA. Londrina – PR. P. 34-35. Dezembro 2014.
GUSMÃO, Marcelo da Silva. As Três Grandes Luzes de uma Loja e o seu Uso Quanto à Evolução do Aprendiz. 3 de dezembro de 2015.
Loja Fraternidade Nº 3376 Rito de York – “Emulation Ritual”. A Tábua de Delinear – “The Tracing Board” do Grau Aprendiz Franco-Maçom. Disponível em: <http://trabalhosdamaconaria.blogspot.com.br/…/a-tabua-de-de…>
UNILOJAS – União Mineira de Lojas Maçônicas Independentes. Ritual de Emulação Aprendiz Franco Maçom. Instruções Contidas na Cerimônia de iniciação.


bannerLoja2.jpg


O Senhor torna firmes os passos do homem

E aprova os seus caminhos.

Salmos 36:23